quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Reforma do Ensino Médio: veja o que vai acontecer na rede estadual paulista

O Governo Federal anunciou no mês de setembro de 2016 que o Ensino Médio das escolas públicas de todo o país passará por uma ampla reforma educacional em 2017. Um dos grandes desafios da educação brasileira, uma vez que esta etapa da Educação Básica atende 1,5 milhão de alunos no Estado de São Paulo. Cada vez mais democrática, a Educação definiu que nada será mudado em São Paulo antes de um amplo debate com dirigentes, supervisores, diretores, professores e os próprios estudantes. Para o próximo ano letivo, portanto, a carga horária diária das escolas regulares segue a mesma, inclusive no Programa de Tempo Integral.

A rede estadual paulista terá mais 12 escolas de Tempo Integral em 2017. As novas unidades de ensino são de Ensino Médio (1ª a 3ª série) e se juntam às mais de 500 com jornada estendida em todo o Estado. No modelo adotado pela Educação de São Paulo, os estudantes cumprem uma jornada superior a sete horas diárias e professores atuam em dedicação plena com direito à remuneração de 75% sobre o salário base.  Atualmente, 297 unidades oferecem o novo modelo de ensino em tempo integral, que atendem mais de 91 mil estudantes do Ensino Fundamental e Ensino Médio. Em 2016, 25 escolas atenderam os anos iniciais do Ensino Fundamental e 87 escolas o Ensino Médio. As unidades oferecem estrutura com laboratórios, disciplinas eletivas e jornada de oito a nove horas em média.

O processo de atribuição de aulas/classes para os professores continuará igual ao adotado pela rede no ano passado. O cadastro online deve ser feito obrigatoriamente pelos docentes efetivos e temporários que querem atuar em 2017.  A Educação está discutindo a modernização da gestão democrática nas escolas públicas paulistas. A ideia segundo o governo é unir todos os interessados – estudantes, professores, gestores, servidores, pais, responsáveis e sociedade civil – no esforço coletivo de aperfeiçoamento de Grêmios Estudantis, Conselhos de Escola e Associações de Pais e Mestres.
Fonte: educacao.sp.gov.br/ensino-integral

0 comentários:

Postar um comentário