Instituição contrata Educador Pedagogo

Não conseguiu emprego em 2016? Veja o que avaliar na busca por vaga em 2017 e descubra qual é a ferramenta decisiva para promover conexão constante com o mercado de trabalho.








Com o desemprego em alta em 2016, superando a marca de 12 milhões de pessoas fora do mercado de trabalho, quem está em busca de uma recolocação deve refletir sobre os rumos da carreira e sobre o que pode ser feito para conseguir o tão sonhado emprego no ano de 2017.

Segundo o especialista em recursos humanos Júlio Pugliesi, passar uma imagem negativa durante entrevistas de emprego pode custar a oportunidade. “Ninguém quer se aliar a perdedores. Todo mundo quer se aliar a ganhadores”, argumenta. "Grande parte das vezes os candidatos não estão preparados. O currículo não é bem preparado, ou ele não é bem direcionado para a vaga".
“Encerrar o ano realizando autoavaliação sobre desempenho nos processos seletivos e os principais direcionadores de busca por vagas são passos importantes para a recolocação em 2017. Sempre que possível, peça feedback para os entrevistadores sobre sua participação, sendo o retorno positivo ou negativo”, afirma Roberto Didio, gerente de RH da unidade carioca da Luandre.  Segundo o especialista, se o candidato não foi chamado para nenhuma entrevista no período em que esteve desempregado, convém analisar a compatibilidade curricular com as oportunidades pretendidas.

Podem fazer a diferença atualização de contatos, organização das informações e a síntese na elaboração do currículo. Segundo ele, não se deve economizar na prática de networking (contatos profissionais), ferramenta decisiva para promover conexão constante com o mercado de trabalho.  Recomenda-se ter uma rede de contatos, atualizar as vagas disponíveis e os conhecimentos técnicos. Para ele, o profissional deve ser entusiasmado e com vontade de vencer.
Veja oito dicas de Didio para recomeçar a busca com o pé direito:
1. O candidato não deve perder as esperanças. Apesar do ritmo ainda lento, as contratações continuam acontecendo e alguns setores já ensaiam retomada de crescimento.
2. Verifique se o seu perfil está condizente com as vagas pleiteadas. É contraproducente encaminhar currículo para oportunidades desalinhadas com sua experiência profissional e formação. Em casos de exceção, investigar com os consultores sobre as particularidades da vaga e a possibilidade de ingressar num processo fora da sua área de atuação.
3. Aproveite o tempo livre para o aperfeiçoamento e desenvolvimento, seja por meio de cursos gratuitos, online ou que exijam baixo investimento.
4. Esteja bem informado sobre o que está acontecendo no mundo. É extremamente importante que o profissional de seleção perceba que você está atualizado. Além disso, observando tendências de mercado, fica mais fácil saber onde estão as vagas em potencial.
5. Antes da próxima entrevista, pesquise sobre a cultura da empresa. Entenda se os valores da organização estão alinhados com seus próprios valores. Leia sobre missão, visão e valores da empresa que irá realizar a seleção.
6. Não descarte oportunidades de trabalho temporário. Há sempre chances consideráveis de efetivação, sobretudo em momentos de crise. Pontualidade, comunicação, participação e alto desempenho são fatores decisivos para garantir sua contratação. Dê o melhor de si.
7. Mantenha seus perfis nas redes sociais em harmonia com suas aspirações profissionais.
8. Nunca espere de forma passiva pelas oportunidades. Elas são criadas em cada acesso aos meios de comunicação, em cada troca de informação com outros profissionais, em cada visita aos sites de busca. Não desista.
Fonte: g1.globo.com/economia

Comentários