Na crise, Governadores cortam benefícios de servidores públicos, Veja quais são os Estados.

Nesse momento de crise, muitos estados estão cortando, ou querendo corta, benefícios de servidores públicos para economizar. Entre as medidas estão:
·         A extinção da licença-prêmio (período de três meses de dispensa remunerada concedido a cada cinco anos).
·         E da estabilidade financeira (quando o servidor passa a receber de forma permanente o adicional que recebeu ao ocupar cargo comissionado).
      Segundo os governadores, são medidas necessárias para minimizar os vários problemas nos orçamentos estaduais e na Previdência, e se não for o pagamento do 13º salário poderá  está ameaçado em alguns Estados.  Ou seja, aquilo que todo mundo já sabe é o trabalhador quem vai pagar a conta da “farra” que nossos políticos fazem com a má administração do dinheiro público, e isso pra não falar nos casos de corrupção que estão sendo descobertos e nos que ainda vão ser.
     Em todo o Brasil os servidores, principalmente professores, estão realizando uma série de protestos e greves  para evitar a aprovação da propostas que ferem os direitos dos servidores. Veja abaixo a lista de algumas situações que estão acontecendo em vários estados:

  • BAHIA – Governador Rui Costa (PT) quer aprovação de projetos que extinguem a licença-prêmio e estabilidade financeira para novos servidores, além de vetar o acúmulo de férias. Além de já ter retirado insalubridade e periculosidade  de muitos servidores.
  • SÃO PAULO – O governo de São Paulo propôs um reajuste salarial de 2,5% aos professores da rede estadual. Valor fica bem abaixo da inflação do ano passado, de 10,67%. Os professores não recebem reajuste salarial desde 2014. Lembrando que em Agosto do ano passado o o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) entregou um Projeto de Lei (PL) que suspende a licença-prêmio dos servidores públicos do estado.
  • MATO GROSSO – No inicio do ano o governo de Mato Grosso suspendeu o pagamento de indenização de férias (quando o servidor “vende” suas férias), licenças-prêmio, cartas de crédito e demais valores da fila de precatórios judiciais dos servidores na ativa para o ano de 2016. E também proibiu o aumento na despesa com pessoal.
  • SANTA CATARINA - Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade Colombo (PSD) disse que, se não é possível mexer na previdência, é preciso, pelo menos, acabar com a licença-prêmio. Ele ressaltou que nenhum trabalhador privado tem direito a tal benefício.
  • GOIAS - O governador Marconi Perillo (PSDB) já aprovou projeto que suspende reajustes de todos os planos de cargos e vencimentos o que inclui os professores.
  • DISTRITO FEDERAL - o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) tentou aprovar projeto que veta a possibilidade de o servidor receber em dinheiro, ao se aposentar, as licenças-prêmio acumuladas durante a carreira. O DF, contudo, recuou após muitos  protestos.
  • ESPIRITO SANTO – O  governador Paulo Hartung (PMDB) suspendeu o abono natalino. O benefício era de R$ 500 por servidor.
  • RIO DE JANEIRO – A situação do Rio é a pior, a crise lá é generalizada e enorme, tem um rombo estimado para este ano de R$ 20 bilhões. Governo analisa corta cargos e salários de servidores. O Estado ainda sofre com as greves e as ocupações como a da Secretaria de educação.
        Por mais que os servidores entendam que o momento é delicado, que o sistema de previdência tá em perigo, e que os pagamentos de 13º e outros podem está ameaçados, não é fácil ter que ajudar a arcar com essas dividas em um país que tem cargas absurdamente altas de impostos e em um momento de inflação muito acima da media. É como ir a um Supermercado e pagar duas ou três vezes por um mesmo produto de péssima qualidade e não ter a quem recorrer por esse abuso.





Comentários